A través do diálogo e da amizade e com o auxílio de uma linha telefónica, o AMA (Amigos Anônimos Samaritanos Mundiais) oferece às pessoas auxílio no combate à depressão e à solidão.

A população de Santa Maria e região tem contado desde dezembro de 1996 com um serviço de apoio emocional por telefone. Esse empreendimento tem levado um pouco de calor humano e amizade àquelas pessoas que sofrem de depressão, solidão ou que simplesmente não têm com quem conversar.

Foi criada por iniciativa do Bispo Naudal Alves Gomes, da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, de Santa Maria, RS, contando com o apoio das Igrejas ligadas à FEIC (Fraternidade Ecumênica de Igrejas Cristãs) e com voluntários que se prontificaram a ouvir pessoas com problemas de angustias, incertezas e preocupações, depressão, ou que sentem-se solitárias, que não têm com quem falar.

É o AMA (Amigos Anônimos Samaritanos Mundiais), uma organização filiada ao Befrienders International, com sede em Londres, criada após a II guerra mundial, a população da Europa passava por um momento muito difícil de crise de valores, a chamada depressão do pós-guerra.

O fundador dessa organização também foi um clérigo anglicano, psiquiatra, chamado Chad Varah, que impressionado com uma morte de uma jovem, aparentemente por motivo irrelevante, e por não ter com quem falar sobre o assunto, suicidou-se.

O acontecimento motivo-o a abrir sua casa, para receber pessoas com a finalidade de conversar com elas sobre a vida. Em pouco tempo um grande número de pessoas passou a freqüentar as reuniões e com a demanda o pastor viu a necessidade de chamar mais pessoas para auxilia-lo na orientação do trabalho.

Iniciava-se assim o grupo denominado pela imprensa londrina da “Samaritanos Mundiais” que funciona até hoje em Londres e tem mais de 160 postos espalhados por toda a Inglaterra. Embora se tenha iniciado o trabalho em 1936, a organização “Samaritanos Mundiais” foi fundada em 1953.